Paróquia de São Cosme de Besteiros e de São Miguel de Cristelo

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADPRT/PRQ/PPRD26
Title type
Formal
Date range
1860 Date is certain to 1895 Date is certain
Dimension and support
2 ml ; papel
Extents
42 Livros
2 Metros lineares
Biography or history
As freguesias de São Cosme de Besteiros e de São Miguel de Cristelo estiveram unidas, tendo sido separadas pela Lei nº 605, de 15 de Junho de 1916.

A freguesia de São Cosme de Besteiros era abadia da apresentação, com reserva, do Convento de São Pedro de Cête, do bispo e do Cabido da Sé do Porto, no antigo concelho de Aguiar de Sousa. Pinho Leal chama-lhe "Besteiros e Christêllo" e atribui-lhe o orago de São Cosme e São Miguel. Carvalho da Costa regista apenas "Besteiros" e não fala de "Christêllos". O foral passado a Aguiar de Sousa, em Lisboa, a 25 de Novembro de 1512, trata, entre muitas povoações, de Besteiros. Pertenceu ao extinto bispado de Penafiel. Arcediagado de Aguiar de Sousa (século XII). Comarca eclesiástica de Penafiel - 5º distrito (1856; 1907). Segunda vigararia de Paredes (1916).

A freguesia de São Miguel de Cristelo era curato anexo à abadia de Santa Eulália de Vandoma, no antigo concelho de Aguiar de Sousa, passando, mais tarde a freguesia independente. Beneficiou também do foral de Aguiar de Sousa, dado por D. Manuel, em Lisboa, em 1513. Em 1839 aparece na comarca de Penafiel, concelho de Aguiar de Sousa e, em 1878, no concelho e comarca de Paredes. Pertenceu ao extinto bispado de Penafiel. Arcediagado de Aguiar de Sousa (século XII). Comarca eclesiástica de Penafiel - 5º distrito (1856; 1907). Segunda vigararia de Paredes (1916; 1970).
Geographic name
Besteiros e Cristelo - Paredes
Legal status
A comunicabilidade dos documentos, está sujeita à legislação que rege o regime geral dos arquivos e do património arquivístico (Decreto-Lei nº 16/93, de 23 de Janeiro) e a legislação mais específica de acordo com os casos
Custodial history
Incorporações efectuadas pela Conservatória do Registo Civil de Paredes em 28 de Outubro de 1998 e 25 de Janeiro de 2005. Em 1993 foi publicado pelo Arquivo Distrital do Porto, o Guia do Arquivo que esteve em uso até 2005, cumulativamente com a descrição disponível através da aplicação de descrição arquivística Arqbase. Em 1994 foi publicado o Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais, no âmbito do Inventário do Património Cultural Móvel.
Acquisition information
Incorporação
Scope and content
Documentação relativa a baptismos, casamentos, óbitos.
Accruals
Incorporações periódicas (art. 38 do Código do Registo Civil)
Arrangement
Ordenação cronológica
Access restrictions
Unidades arquivísticas de acesso condicionado, devido ao estado de conservação
Conditions governing use
Reprodução sujeita a restrições atendendo, ao número, tipo de documentos, estado de conservação e o fim a que se destina
Language of the material
Por (Por (português))
Physical characteristics and technical requirements
Documentação em estado regular
Other finding aid
DigitArq: base de dados de descrição arquivística
Alternative form available
A maior parte da documentação encontra-se microfilmada
Creation date
5/22/2012 12:00:00 AM
Last modification
7/11/2014 3:19:24 PM